ARBITRAGEM PARALELA
cartao

  • L. Salla escreve todas as segundas sobre a atuação do árbitro de um dos jogos do Brasileirão. Fique atento.
  • (A opinião do colunista não significa o mesmo entendimento do site)

Por falar em arbitragem!
Desapontado com a arbitragem brasileira e sul-americana, tirei o domingo pela manhã para assistir, pela liga inglesa, West Ham x Manchester City.
O time londrino foi para o intervalo com a vantagem de 2 x 0 prenunciando um ataque contra defesa no 2º tempo com os citizens atacando e o West Ham se defendendo.
Bingo! Não deu outra!
Dois minutos de jogo na 2ª etapa e o goleiro polonês Fabianski do time londrino demora para bater um tiro de meta. O sr. Anthony Taylor árbitro do jogo, de imediato e sumariamente,  advertiu o polonês com o cartão amarelo. Isto é, não tem conversa: “esta é a última, se continuar vou mostrar o amarelo”.
No minuto 84, Gabriel Jesus botou a bola na frente e sofreu pênalti. O árbitro não assinalou de imediato e foi chamado pelo VAR. Em menos de 30 segundos a decisão estava tomada marcando o pênalti.  Na cobrança, Mahrez viu Fabianski voar e defender o tiro penal. Final, 2 x 2 e a chance de ser campeão se adiou para a rodada final.
Detalhe 1: Quando o árbitro foi chamado pelo VAR nenhum jogador encostou tentando persuadir o mediador.
Detalhe 2: O mesmo quando o pênalti foi confirmado.
Detalhe 3: Jogo de ataque x defesa – 14 faltas cometidas – 9 pelo West e 5 pelo City – 3 cartões amarelos – 3 West e 1 City.
Resumo: recomendação para os árbitros brasileiros assistirem a Premier Ligue e observarem as arbitragens. Idem para os jogadores para constatarem o que é educação e respeito às regras do jogo.
São Paulo x Cuiabá – Campeonato Brasileiro
Defesa tricolor “dorme” e 1x0 para o Cuiabá.
Jogo se transforma em ataque x defesa, com o São Paulo rondando a área adversária, mas sem oferecer perigo. Jogo tranquilo para a arbitragem. Mas......Aí, baixou o santo caseiro no Sr. Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ) árbitro do jogo, que aos 20 minutos viu (e só ele viu) um pênalti em cima de Andre Anderson. Gol do tricolor.
Não contente, aos 29 expulsou Jonathan Cafu numa jogada casual. Num primeiro momento, o juiz não deu nem cartão amarelo e depois foi ao vídeo para mudar sua decisão e expulsar Cafú.
Ainda tem mais. Nikão aos 36 do 2º tempo, num bate e rebate, coloca o tricolor em vantagem, sendo que nem o bandeira e nem o VAR observaram que havia um jogador tricolor em posição de impedimento atrapalhando a ação do goleiro Walter.

 
Até a próxima!